No Banner to display

17 de janeiro de 2018
publicado às 12h50
“Língua Negra” em direção a praia preocupa banhistas no Maranhão

“Língua Negra” em direção a praia preocupa banhistas no Maranhão

Na praia do Calhau, em São Luís, há três dias uma “língua negra” – como é chamada pelos especialistas -, tem preocupado banhistas e ambientalistas. De acordo com o doutor em engenharia sanitarista e ambiental, Lúcio Macedo, a “língua negra” é resultado de poluição e o nome se deve ao despejo de esgoto no Rio Calhau.

“A língua negra foi o termo que nós expressamos em 2015 para exemplificar o problema do lançamento de esgoto in natura proveniente, provavelmente, de uma estação elevatória que fica no Cohajap com despejo que, em função do mal funcionamento, resultou na poluição do Rio Calhau e o consequente lançamento na praia do Calhau”, explicou.

No mesmo local uma placa indicava, na tarde desta terça-feira (16), que o trecho da praia é próprio para o banho. Porém, o sanitarista alertou que a mancha de sujeira pode refletir na balneabilidade da praia, no equilíbrio do ecossistema e até na vida marinha.

“A carga poluidora desses resíduos é da ordem de até 10 toneladas por dia, o que é equivalente a você contaminar quase seis quilômetros da praia, uma vez que esses pontos, recentemente (em função do levantamento da SEMA) foram tidos, na região da Ponta da Areia e do Calhau como impróprios para balneabilidade, ou seja, tanto a areia quanto as águas do mar estão contaminadas”, afirmou Lúcio Macedo.

Placa da Secretaria do Meio Ambiente indicando que o local onde havia a

Placa da Secretaria do Meio Ambiente indicando que o local onde havia a “Língua Negra” estava própria para o banho (Foto: Reprodução/TV Mirante)

De acordo com Lúcio Macedo, há mais de 15 anos cerca de 16 km da orla de São Luís – que corresponde ao trecho da ponta d’areia à praia do olho de porco – estão poluídos. A frequência da poluição é alternada, mas nunca o problema foi resolvido, segundo ele.

O técnico em enfermagem Benedito Silva disse que saiu decepcionado ao levar um grupo de amigos do Rio de janeiro para conhecer a praia, que é um dos cartões postais da São Luís. Já o amigo do Benedito, Gilmar Silva, que é turista ddeclarou não ter levado uma boa impressão.

“Envergonhado com os amigos, né não? Porque a gente olhou esse esgoto bem aqui na praia”, afirmou Benedito.

“A gente imaginava encontrar um lugar sem poluição, sem esgoto. Uma praia mais limpa. Não dá coragem de descer”, reclamou o turista.

Turista Gilmar Silva não pôde entrar na água por causa da mancha de sujeira que ia em direção a praia. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

 

A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA) informou que vem trabalhando na despoluição do Rio Calhau desde o ano passado, quando começou a retirar pontos de lançamentos clandestinos de esgoto ao longo do rio. Também disse que o Governo do Estado está construindo uma elevatória que vai ajudar na despoluição do Rio Calhau.

Já a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA) informou que fez, hoje à tarde, a troca da placa no local poluído para imprópria e completou dizendo que faz, toda semana, o monitoramento da balneabilidade e fiscaliza os bares e empreendimentos da ilha para coibir o lançamento de esgoto clandestino nos rios e praias.  G1

Compartilhar
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014