12 de julho de 2018
publicado às 08h07
Manifestantes bloqueiam caminhão que transportava ovelhas destinadas à exportação

Manifestantes bloqueiam caminhao que transportava ovelhas destinadas a exportacaoUma centena de manifestantes defensores dos direitos animais bloqueou um caminhão cheio de ovelhas no Porto de Ramsgate, no condado de Kent, Inglaterra. Eles disseram que os animais, que seriam enviados para a França, estavam destinados a serem mortos para o festival muçulmano Eid al-Adha, que é celebrado em agosto.

Yvonne Birchall, da Kent Action Against Live Exports (KAALE), disse: “Encontramos ovelhas aflitas e sem espaço suficiente. Em um dos três caminhões transportadores, vários animais tossiam muito. Um termômetro no local onde as ovelhas estavam marcava 31.5 graus às 7 da manhã.”

Birchall disse que os caminhões “apenas começaram” a transportar esses animais para lugares como o norte da África, a Turquia e o Oriente Médio para o Eid. “É um festival muçulmano de sacrifício. Não é permitido neste país, mas eles podem levá-los para outros países ou continentes”, continuou Yvonne.

A UE proibiu a exportação de animais vivos, porém, uma vez que a empresa possui uma licença de exportação, as ovelhas são consideradas mercadorias.

“Em 1995, quando comecei, 30 caminhões traziam animais todos os dias para ser exportados. No ano passado, no total, apenas 34 caminhões passaram por Ramsgate. É melhor, mas ainda não é suficiente”, acrescentou Birchall.

A candidata do Partido Trabalhista ao Parlamento, Rebecca Gordon-Nesbitt, que estava no protesto, disse: “Pessoalmente e politicamente me oponho à prática”.

“O transporte de animais vivos para serem mortos é completamente repreensível em ambas as extremidades da equação. Não sabemos qual será o destino desses animais e durante o verão há uma preocupação maior sobre a hidratação em intervalos regulares”.

Havia três caminhões de três andares, cheios de ovelhas em todos os níveis. A polícia local confirmou que ninguém foi preso. Fonte: ANDA

Compartilhar
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014