15 de janeiro de 2019
publicado às 12h46
Em protesto, indígenas ocupam distrito de saúde no interior do Acre

Em protesto, indigenas ocupam distrito de saude no interior do Acre

Em protesto na manhã desta segunda-feira (14), indígenas das tribos Nukini e Náuas ocuparam a sede do Distrito de Saúde Indígena do Juruá (Dsai), em Cruzeiro do Sul. Eles exigem melhorias no atendimento de saúde nas comunidades, construção de sistema de abastecimento de água e a saída da gerente do distrito, Milena Lopes.

Os índios dizem que as aldeias estão abandonados pelas equipes de saúde e alegam que a gerente tem usado o distrito como “cabide de emprego”.

“Na gestão da Milena, ela calou a liderança. Hoje o movimento indígena acabou porque ela comprou e a mim ela fez da mesma forma, me ofereceu um emprego de R$ 2 mil pra calar minha boca, mas eu não me vendo e hoje estou aqui para discutir a saúde indígena. Hoje tá faltando tudo, equipe multidisciplinar, dentista, porque hoje só vai dentista para arrancar os dentes e a gente quer que o dente seja tratado”, reclama o representante do povo Nukini, Paulo Nukini.

Ele alega também que atualmente apenas um poço artesiano atende ao menos seis aldeias na comunidade em que mora. A falta de água tratada, segundo ele, tem levado várias mazelas às aldeias. “Só tem verminosa. A gente bebe água suja de tudo ali”, enfatiza.

Representante do povo Náuas, Célia Oliveira, diz que a comunidade está precisando de um poço artesiano, reforma do posto de saúde e uma equipe técnica que atenda aos indígenas.

“A gente vai ficar aqui por tempo indeterminado. A gente que passa a dificuldade é que sabe como está a aldeia. O nosso posto de saúde está todo quebrado, não tem como fazer preventivo, não tem como fazer nada. Dão pra gente até remédio vencido e é por isso que estamos aqui, porque queremos uma resposta. A gente só saí daqui com alguma solução”, garante.

O G1 tentou ouvir o Dsai, mas foi informado que os gestores estavam reunidos com as lideranças indígenas tentando negociar.

Compartilhar
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014