15 de outubro de 2019
publicado às 20h00
‘Babaçu – A Força da Mulher Tocantinense’ permanece no Salão de Exposição até 1º de novembro

Babacu A Forca da Mulher TocantinenseO público pode conferir, até 1º de novembro, a exposição ‘Babaçu – a Força da Mulher Tocantinense – Uma história contada em tela’, da artista visual Maria do Rosário, em exibição no Salão de Exposição da Fundação Cultural de Palmas, no Espaço Cultural José Gomes Sobrinho. A abertura da mostra aconteceu nesta quinta-feira, 10.

O evento contou com a homenagem a Dona Raimunda Quebradeira (In memorian), a chef Ruth Almeida e Genésio Tocantins, personalidades tocantinenses com ligação de vida, profissão e arte com o babaçu. Emocionada, a chef Ruth Almeida aproveitou a ocasião para contar um pouco de sua história, o passado com quebradeira de coco, e como migrou para a culinária levando essa identidade regional a seus pratos.  “Eu estou emocionada, porque a vida da quebradeira de coco é uma vida dura, difícil, mas também inspira a gente”.  Já Genésio Tocantins agradeceu a homenagem cantando a música ‘Coco Livre S/A’, que se tornou ‘hino’, do movimento Babaçu Livre, resultante na Lei sobre a extração do coco pelas quebradeiras.

“A alegria hoje se duplica pela sensibilidade a Madu de representar essas duas forças do coco babaçu e a força da mulher. As diversas técnicas que ela utilizou, retratam a sofrência e a beleza desses símbolos do Tocantins”, afirmou o presidente da Fundação Cultural de Palmas, Giovanni Assis.

Apreciando a exposição, a psicóloga Ana Caroline Milhomem, afirmou que “A arte expressa por Madu permitiu entrar na cena, como se estivesse tendo a experiência na história das mulheres quebradeiras de coco, além de imaginar a dura trajetória que as mesmas tiveram que percorrer para o sustento da família, percebi a leveza e a alegria por meio das cores e traços ressaltados em sua arte”.  Caroline ressaltou também a importância dos espaços de arte para a cidade. “A abertura do evento uniu música, gastronomia e pintura em tela. A relevância de eventos culturais como esse em nossa Capital, é proporcionar espaços de interação entre as pessoas e fortalecer a identidade do nosso estado”, disse.

A Exposição

Amante da natureza e da simplicidade, Madu, que é aluna do Centro de Ensino e Treinamento Artístico da Fundação Cultural de Palmas (FCP) explica que se encantou com as palmeiras de babaçu em uma pesquisa para a criação de telas no curso. “Quando chegou para escolhermos um tema no curso comecei a pesquisar sobre o Tocantins e vi o babaçu, fui pesquisando e descobrindo mais coisa, como as quebradeiras. Me encantou justamente a simplicidade, o trabalho das quebradeiras e a paisagens que gosto muito”, conta.

Curador da exposição, Ronan Gonçalves – Rogo, afirma que arte de Madu é simples e autêntica. “É a arte da espontaneidade, da criatividade autêntica feminina, do fazer artístico instintivo da maturidade, é onde a artista expande seu universo. Esta arte se traduz em uma rica diversidade de valorosas e belas obras, oriundas das mãos simplórias que executa o trabalho artístico”.

Maria do Rosário Madureira Leite  –  Madu

Mineira de Januária, radicada em Palmas-TO desde 1995, bacharel em Ciências Contábeis pela Fundação Universidade do Tocantins – Unitins, possui formação no Curso Técnico em Decoração da Área Designer, conferido pelo Conservatório Estadual de Música Lorenzo Fernândez – CenterArtes – Montes Claros (MG). Atualmente matriculada no curso de Pintura em Tela no Centro de Ensino e Treinamento Artístico (Ceta), da Fundação Cultural de Palmas, desde 2018, com participação em duas exposições acadêmicas e uma exposição no III Salão Palmense de Novos Artistas.

Serviço

O quê: Exposição – Babaçu a Força da Mulher Tocantinense

Local: Salão de Exposição da FCP no Espaço Cultural José Gomes Sobrinho

Quando: de 10 de outubro a 01 de novembro

Visitação- das 08h às 21h de segunda à sexta-feira

 

 

 

 

Compartilhar
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014