16 de dezembro de 2019
publicado às 08h32
Tocantins apresenta cadeias produtivas da biodiversidade

Tocantins apresenta cadeias produtivas da biodiversidade

Com o objetivo de partilhar o conhecimento sobre as políticas ambientais e o setor produtivo de cada estado que compõe a Amazônia Legal Brasileira e colocar em contato com o mercado internacional de serviços ambientais, o Amazon-Madrid reuniu nessa terça-feira, 10, governadores, vice-governadores, secretários de Estado, investidores e doadores para apresentação de diversos painéis com temáticas diversificadas na área ambiental. O Amazon-Madrid segue até quarta-feira, 11, e está na programação paralela da Conferência das Partes da Convenção Quadro das Nações Unidas para Mudanças Climáticas COP 25.

O vice-governador do Tocantins Wanderlei Barbosa participou do evento conduzindo o último painel do dia, Cadeias Produtivas da Biodiversidade, no qual os estados tiveram a oportunidade de falar de suas cadeias produtivas. Wanderlei Barbosa, além de citar o famoso capim dourado, falou dos outros produtos em que o Estado tem potencial, como buriti, babaçu, baru, pequi, biojoias e o potencial que o Tocantins tem para a aquicultura.

Sobre o objetivo do evento, o vice-governador Wanderlei Barbosa destacou a importância de participar desses momentos. “Cada estado teve a oportunidade aqui, de externar de que maneira conduz a sua política ambiental e o setor produtivo sem agredir o meio ambiente e sem aumentar a emissão de gases. Esse evento, além de proporcionar a busca por parcerias para financiamento de projetos dos estados da Amazônia Brasileira, nós tivemos a oportunidade de falar do nosso estado, e aqui citei o que temos de melhor: o Jalapão, o Parque do Cantão, dos recursos hídricos e da nossa biodiversidade, um momento de mostrar para o mundo a riqueza do nosso estado e as políticas que desenvolvemos no Tocantins.

No painel sobre as perspectivas e os compromissos de governo para o desenvolvimento de baixas emissões na Amazônia. O secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), Renato Jayme, apresentou o panorama ambiental do Estado O Tocantins é predominantemente dois biomas: Cerrado e Amazônia. Com as políticas ambientais do Estado, estamos conseguindo reduzir gradativamente o desmatamento ilegal. No Cerrado, no ano de 2018-2019, a redução foi de 10%, já no bioma da Amazônia foi 16% e nos últimos 15 anos somamos a redução em 87%. Reitero também que o Tocantins está com um Projeto de Lei na Casa Civil que regulamenta o mercado de ativos ambientais”.

O programa Pátria Amada Mirim (PAM) e a Estratégia Tocantins 20-40 foram as iniciativas apresentadas pelo secretário. “O PAM é um programa socioambiental que promove a inclusão social de 25 mil crianças e adolescentes por meio de atividades da educação ambiental, que prevê a produção de 6 milhões de mudas e restauração de 12 mil hectares ao longo de três anos. Já a Estratégia Tocantins 20-40 irá delinear o desenvolvimento de baixas emissões no Estado para os próximos 20 anos, baseada em 4 eixos: econômico; social; ambiental e infraestrutura. A estratégia tem como objetivo promover o desenvolvimento equitativo e competitivo do Estado do Tocantins, com uso racional de recursos naturais, respeito às próximas gerações e melhoria da qualidade de vida de sua população”, ressaltou Renato Jayme.

Planejamento Estratégico 2019-2030

Com a missão de articular o desenvolvimento sustentável da Amazônia Legal de maneira integrada e cooperativa, considerando as oportunidades e os desafios da região, foi apresentado o Planejamento Estratégico do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal 2019-2030.

O presidente do Consórcio da Amazônia Legal, o governador do Amapá Waldez Góes apresentou o Planejamento Estratégico 2019-2030 ressaltando metas de redução do desmatamento ilegal em 100% e 80% do legal na região da Amazônia. A visão do Planejamento é ser referência global em cooperação, estratégia e governança para transformar a Amazônia Legal em uma região competitiva, integrada e sustentável até 2030.

Acordos

Durante o evento, foram assinados dois documentos que irão subsidiar o cumprimento das metas propostas pelo Planejamento Estratégico 2019-2030 do Consórcio da Amazônia Legal. O Memorando de Entendimento de apoio às ações do Consórcio foi firmado entre o governo da França e o presidente do Consórcio, Waldez Góes. Já, com o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), o Acordo de Cooperação foi assinado entre todos os representantes do Consórcio e a instituição.

Amazon-Madrid

No primeiro dia de evento, além dos acordos estabelecidos e apresentações das iniciativas para a redução das emissões e o desenvolvimento sustentável dos estados membros do Consórcio, painéis sobre a Economia Verde na Amazônia e Agronegócio de Baixas Emissões foram discutidos. A segunda edição do Amazon é realizada pelo Consórcio Interestadual da Amazônia Legal, com organização do Instituto de Pesquisa da Amazônia e a Cooperação Técnica Alemã GIZ. (Thuanny Vieira/Governo do Tocantins)

 

Compartilhar
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014