26 de maio de 2020
publicado às 16h15
Mananciais ajudam no combate a incêndios florestais

Mananciais ajudam no combate a incendios florestais

Propriedades rurais ao redor da Capital começaram a ser visitadas por técnicos da Defesa Civil Estadual em busca de mananciais com boa quantidade de água e que possam ser facilmente acessadas numa possível ação de combate aos incêndios florestais no entorno. O órgão está catalogando cada localidade em um mapa de estratégia, para carregamento de caminhões-tanque ou helicóptero que precisam reabastecer e voltar para debelar o fogo. Quatro pontos já foram confirmados.

O trabalho é encabeçado pelo gerente de Monitoramento da Defesa Civil Estadual, major Antônio Luiz Soares da Silva, acompanhado de membros do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), que no ano passado realizou centenas de lançamentos de água com o helicóptero. O aparelho usa o Bambi Bucket (cesto d’água), que fica acoplado na parte de baixo da aeronave e para reabastecê-lo com água, precisa manobrar sobre o manancial.

Para o major, “não há uma quantidade máxima e estaremos visitando outras localidades”. “Uma das coisas que a gente leva em conta é se o manancial é realmente adequado ou precisa de alguma modificação para facilitar a captação da água pela aeronave ou caminhão. Acima de tudo, verificamos se o proprietário nos autoriza a usar o manancial”, disse.

Numa primeira visitação, quatro propriedades foram cadastradas. Ano passado, o helicóptero do Ciopaer usou água do Parque Cesamar e de tanques de piscicultura instalados nas proximidades da Serra do Lajeado. “Mas as propriedades podem se voluntariar antes mesmo da nossa visita, pois elas estarão sendo beneficiadas também na prevenção e controle dos incêndios”, destaca o major.

Para ser usado, o manancial não pode estar muito próximo de casas, barracos, fiação, árvores, ou algo que atrapalhe a manobra da aeronave. Outra recomendação é que não haja troncos ou galhos de arvores dentro do tanque, pois podem enganchar no equipamento e causar um acidente.

Segundo o major Antônio Luiz Soares da Silva, as propriedades próximas de onde mais houve queimadas ano passado são as mais importantes no cadastramento dessas fontes, pois dão rapidez ao trabalho das equipes.

Trabalhos iniciados

A Defesa Civil Estadual e o comitê Estadual do Fogo já iniciaram as ações de prevenção e combate às queimadas e incêndios florestais, deste ano. Além de reuniões online, também já existem combate a focos em várias partes do Estado, bem como a execução de aceiros preventivos nos Parques Estaduais. (Luiz Henrique Machado/Governo do Tocantins)

 

Compartilhar
Notícias Relacionadas
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014