Salve a Amazonia
14 de abril de 2015
publicado às 21h00
Animais castrados receberão chips em unidades públicas, em Manaus

img_5070

Manaus ganhou duas unidades móveis do Centro de Controle de Zoonose (CZZ) nesta terça-feira (14). Nos espaços, serão realizadas cirurgias de castração e vacinação de cães e gatos. O secretário Municipal de Saúde, Homero Leão, informou que os animais atendidos nos espaços receberão um chip com informações do dono. Em caso de abandono, o responsável pelo bicho será notificado. Na capital, o monitoramento era oferecido apenas em unidades particulares. Durante a entrega das novas unidades, o prefeito de Manaus, Artur Neto, informou que a sede do CZZ deve passar por reforma.

O secretário explicou que os animais castrados nas carretas e no CZZ, localizado no bairro Compensa, na Zona Oeste, assim como nas duas unidades móveis, terão um microchip implantado sob a pele. “O animal vai receber esse microchip com os dados do dono e se ocorrer abandono, essa pessoa pode ser penalizada. As pessoas precisam ter consciência da posse responsável. Não é só ter o animal, é preciso cuidar, não deixar solto nas ruas, permitindo, inclusive, a transmissão de doenças aos humanos”, disse o secretário.

Unidades móveis
Durante a solenidade de entrega das unidades móveis, o prefeito Artur Neto anunciou que área de zoonoses deve receber outros investimentos do poder público municipal. “Os animais não merecem esse tratamento indigno que sempre foi dado a eles. Vamos reformar o centro de zoonoses para atender melhor os animais”, disse.

Por dia, devem ser realizados 15 procedimentos cirúrgicos em cada unidade móvel. A espera para castração após agendamento pode durar aproximadamente quatro meses.

Segundo Homero Leão, uma das unidades vai ficar durante seis meses na Rua das Rosas, bairro Jorge Teixeira 1, na Zona Leste de Manaus, na sede do Distrito de Saúde Leste (Disa Leste). O outro veículo ficará no Complexo Educacional Maria Antonieta Verçosa de Raposo, na Rua 16, Riacho Doce 3, bairro Cidade Nova, na Zona Norte.

De acordo com o diretor do Centro de Zoonoses, Adailton Pereira, as unidades vão contar com uma equipe formada por dois veterinários, dois auxiliares e um administrativo. Ele afirmou que o número de profissionais é suficiente para atender a demanda, mesmo com a lista de espera para castração girando em torno de oito meses. “Com essas carretas vamos baixar para quatro meses o tempo de espera para a cirurgia. A partir de amanhã [quarta-feira] vamos começar a agendar os procedimentos e dentro de quatro meses o animal será atendido”, afirmou.

Para a co-fundadora da Organização Não-Governamental (ONG) Compaixão Animal, Saskia Canizo, a ação deve auxiliar pessoas que não podem pagar pela castração em clínicas particulares. “Estamos pedindo os ‘castramóveis’ desde a gestão passada e agora fomos atendidos. Sabemos que vagas não são suficientes, mas já são uma ajuda. Vamos continuar pedindo melhorias e trabalhando na orientação das pessoas quanto à vacinação, castração, e outros cuidados com os animais”, disse.

Canizo destacou que a ONG busca apoio de voluntários e de empresários. “Precisamos de carona para transportar os animais, alimentação, remédios e de lares provisórios para os animais resgatados que ainda não foram adotados”, enumerou.

Para agendar o procedimento de castração, é necessário ir até uma das unidades e levar RG, Comprovante de Residência e Comprovante de Vacinação do animal. Cães e gatos saudáveis com mais de três meses podem ser submetidos aos procedimentos. (G1).

 

Compartilhar
Notícias Relacionadas
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014