Salve a Amazonia
17 de janeiro de 2017
publicado às 17h29
Aterro do Jóquei só será fechado após inauguração de centros de triagem

Aterro do Jóquei só será fechado após inauguração de centros de triagemEssa foi a garantia dada pelo governador Rodrigo Rollemberg aos catadores recebidos no Palácio do Buriti na manhã desta sexta-feira (13). Unidades vão oferecer melhores condições de trabalho para a categoria

LARISSA SARMENTO, DA AGÊNCIA BRASÍLIA

O aterro controlado do Jóquei, na Estrutural, só será fechado após a inauguração dos sete centros de triagem de resíduos sólidos, que estão em processo de licitação. Foi o que assegurou o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, ao receber cerca de 300 catadores de material reciclável na manhã desta sexta-feira (13) no Palácio do Buriti.

Segundo Rollemberg, a preocupação do governo é assegurar dignidade para os trabalhadores. “Só vamos fechar o lixão quando todos os centros de triagem estiverem funcionando plenamente com condições adequadas como higiene e segurança.”

Os centros, com obras previstas para começar em abril deste ano e terminar em 2018, serão ambientes fechados e terão a estrutura necessária para o trabalho de reciclagem, com esteiras, empilhadeiras e balanças. Todos os catadores vão usar equipamentos de proteção individual (EPIs). Das sete unidades, quatro pertencem ao Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e estarão localizados no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), no Setor Complementar de Indústria e Abastecimento (SCIA), em Ceilândia e na Asa Sul. Outros três são da Secretaria do Meio Ambiente e ficarão em um imóvel cedido pela Secretaria de Patrimônio da União, vizinho à Estrutural. No local também será construído um centro de comercialização de materiais recicláveis.

Rollemberg disse ainda que os primeiros 900 aprovados no processo seletivo Programa Agentes de Cidadania Ambiental — Inclusão ao Mundo do Trabalho vão receber auxílio de R$ 300 por mês a partir de segunda-feira (16). “Em fevereiro, será encaminhado para a Câmara Legislativa o projeto de compensação financeira de R$ 360 para mais 1,2 mil catadores”, completou o chefe do Executivo.

Ana Claudia de Lima, que preside a Associação Ambiente, reforçou a preocupação dos trabalhadores. “O que nós estamos reivindicando hoje é que o catador tenha sustento para a família, somos a favor do fechamento do lixão, mas queremos o catador incluído nesse processo, por meio dos centros de triagem.” Ela fez parte do grupo que protestou, de forma pacífica, e foi recebido no Salão Branco do Palácio do Buriti.

Chamamento público para cadastro de cooperativas

O SLU divulgou hoje (13) o edital para seleção de cooperativas de catadores para a prestação de serviços públicos de recuperação de resíduos sólidos, compreendendo triagem, prensagem, enfardamento e comercialização. As associações interessadas em participar devem entregar proposta e documentação até 16 de abril deste ano na sede da autarquia, no Setor Comercial Sul, Quadra 8, Bloco B-50, Ed. Venâncio, 6º andar. O atendimento é das 9 às 12 horas e das 14 às 17 horas.

EDIÇÃO: MARINA MERCANTE

Compartilhar
Notícias Relacionadas
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014