Salve a Amazonia
5 de junho de 2017
publicado às 19h13
Ativistas fecham 126 restaurantes que vendiam carne de cachorro na China

Ativistas fecham 126 restaurantes que vendiam carne de cachorro na ChinaMais de uma centena de restaurantes na China teve que fechar ou parar de comercializar carne de cachorro devido à ilegalidade de seus negócios graças à organização sem fins lucrativos Animals Asia.

Uma investigação de 2015 da organização revelou a escala de ilegalidade no comércio de carne de cachorro, o que fez com que uma nova tática fosse usada para acabar com o consumo da carne de cães e gatos.

O grupo descobriu que muitos cães são envenenados quando são sequestrados de suas casas ou nas ruas e, portanto, não possuem prova de suas origens ou histórico de vacinação, o que é exigido por lei.

Desde então, a Animals Asia denunciou 1.039 restaurantes de carne de cachorro em 52 cidades da China suspeitas de ilegalidade. Cento e cinquenta departamentos governamentais aceitaram 72% e, como resultado, 126 foram ordenados a fechar ou parar de vender carne de cachorro.

A CEO da organização, Jill Robinson, disse: “Este é um progresso real. Durante muito tempo, a maioria das autoridades tem fechado os olhos para os transportes ilegais, a falta de documentos e os riscos para a saúde da carne envenenada. Porém, agora devemos parabenizá-los por levar esses casos a sério, seguindo e mantendo as leis da China”.

Mesmo que a tática de campanha da Animals Asia tenha encontrado oposição, já que alguns departamentos governamentais não aceitaram os casos (especialmente em regiões onde a carne de cachorro é mais comum), há esperança.

A investigação também descobriu que todas as etapas da cadeia de fornecimento da indústria usam a ilegalidade para aumentar seus lucros, o que sugere que, se as leis fossem seguidas, a indústria não continuaria na escala atual, reportou o One Green Planet.

A Animais Asia tem trabalhado com grupos locais, compartilhando a informação de que precisam para acabar com esse comércio terrível.

“É o momento de reunir as provas, arquivar os relatórios e depois fazer todo o acompanhamento, mas os resultados falam por si mesmos – tanta crueldade foi encerrada por causa disso. Compartilhando a informação podemos fazer ainda mais”, declarou Irene Feng, diretora de bem-estar animal do grupo.

É importante que continuemos a lutar para acabar com esta indústria assombrosa. Com mais de 10 milhões de cães mortos por suas carnes anualmente na China, não podemos diminuir a velocidade.

A organização está encorajando as pessoas a assinar uma carta em apoio aos cidadãos dedicados da China que trabalham incansavelmente para acabar com o comércio de carne de cachorro. A carta irá diretamente para o governo chinês com o intuito de mostrar que milhares de pessoas em todo o mundo se opõem a esse comércio. (ANDA).

Compartilhar
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014