Salve a Amazonia
6 de abril de 2016
publicado às 11h10
Comissão Externa vai fiscalizar cancelamento de voos nas cidades da Região Norte

Comissão Externa vai fiscalizar cancelamento de voos nas cidades da Região NorteArrumação de preços entre companhias aéreas e altos preços cobrados são considerados cartelização pelo deputado Hiran Gonçalves

 

Com o apoio de todos os líderes das bancadas que constituem o Colégio de Líderes da Câmara dos Deputados, foi instalada, em março, a Comissão Externa Temporária destinada a levantar, acompanhar e fis­ca­lizar o cancelamento de voos nas cidades da Região Norte, devido a pre­juí­zos econômicos sofridos pelas companhias aéreas. De iniciativa do deputado Hiran Gonçalves (PMB/RR), o requerimento recebeu também o sinal verde do presidente da Casa, deputado Eduardo Cunha, para ser proto­colado e tivesse início os trabalhos.

“Solicitamos e obtivemos o apoiamento de todos os líderes de todas as bancadas para que nós pudéssemos instalar essa Comissão, com a aquiescência do presidente da Câmara, para nós analisarmos as razões porque as empresas aéreas do Brasil: TAM, Gol e Azul tratam a população da região Norte em geral e, particularmente, a população de Boa Vista, que é a cidade mais distantes dos grandes centros do país, com tanta falta de respeito”, argumentou o deputado Hiran Gonçalves.

O parlamentar explicou que, com a instalação da Comissão Externa Temporária, “serão realizadas audiências públicas com os seguimentos envol­vi­dos com o setor aéreo e diligências externas, requeridas informa­ções das companhias aéreas, além de outros atos que os integrantes deste fórum julgarem necessários para a consecução dos objetivos propostos pela Comissão”.

Segundo o deputado Hiran Gonçalves, para se ter uma ideia do descaso com que as companhias aéreas brasileiras tratam seus clientes, nos últimos dias a TAM e a GOL cancelaram todos os voos Boa Vista-Manaus. “Agora, só uma empresa vai ficar fazendo aquele trecho e, se alguém quiser fazer o trajeto Boa Vista-Manaus pela TAM ou pela Gol, vai ter que ir até Brasília para voltar a Manaus”.

Um outro ponto evidenciado pelo deputado Hiran Gonçalves na defesa da instalação da Comissão foi os preços abusivos praticados pelas companhias aéreas. “Para se fazer um parâmetro”, contou ele, “eu já paguei, não poucas vezes, R$ 3 mil, R$ 3 mil e duzentos ida e volta a Boa Vista”. Mas, ele faz uma alerta para a realidade das pessoas que precisam fazer tratamentos de saúde prolongados, que deman­dam saídas periódicas de Boa Vista para outros centros e, com esse preço de passagens, isso se torna inviável. “Porque nós não temos, muitas vezes, condições de realizar determinados tratamentos lá como, por exemplo, tratamentos de alguns tipos de câncer, com radioterapia, que não temos lá”.

Sobre a arrumação de preços entre as companhias aéreas, o deputado Hiran Gonçalves acredita tratar-se de cartelização. “Ora, se todas elas diminuem, ao mesmo tempo, o número de voos para Boa Vista, o que vai acontecer?”, pergunta ele, respondendo em seguida: “aumento da procura e diminuição da oferta gera aumentos de preços”.

Preocupado com esta ação desencadeada pelas companhias aéreas, o deputado Hiran Gonçalves teve a iniciativa de compor a Comissão, cujo número de membros será definido pelo presidente da Casa. De acordo com o parlamentar, a intenção é que esse colegiado tenha representantes de todos os estados da Região Norte, porque o que está acontecendo não é uma particularidade só de Roraima. “Temos falado com as bancada de todos os estados da Região Norte e essa é uma queixa generalizada. E mais, já está começando a acontecer isso em alguns lugares do Nordeste”, denuncia.

Para o deputado Hiran Gonçalves, todos os líderes partidários não conseguem entender como é que companhias aéreas que fazem voos diários para Boa Vista e cobram as maiores tarifas do Brasil no trecho, se dão ao luxo de tirar e colocar voos “ao bel prazer”. Na sua avaliação, “isso não pode acontecer, uma vez que, em se tratando de uma concessão, elas tem que tratar o usuário que, ao final, é o patrão delas, com respeito”.

Nesta primeira etapa da instalação da Comissão Externa Temporária, conforme contou o deputado Hiran Gonçalves, os parlamentares vão lutar para que se restaure, da maneira mais rápida possível, “uma maior frequência de voos”, enquanto será discutida também a questão dos custos, “porque não consegue entender certas discrepâncias”.

Ele cita como exemplo os preços dos voos para Miami, nos Estados Unidos, saindo de Brasília, que saem em média por US$ 300 (trezentos dólares), ou seja, cerca de R$ 1.200, e um voo de Brasília para Boa Vista, que é a metade do caminho, custar o dobro, e às vezes, o triplo do preço. “Isso é inadmissível e nós vamos estar vigilantes e vamos brigar com essas companhias aéreas para conseguirmos restaurar um preço justo e uma frequência adequada para não gerar inconveniente para as pessoas que moram na Região Norte de uma maneira geral”.

 

 

Compartilhar
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014