Salve a Amazonia
9 de dezembro de 2015
publicado às 21h40
Compromisso para acabar com o desmatamento ilegal na Amazônia até 2020

Compromisso para acabar com o desmatamento ilegal na Amazônia até 2020O Ministério do Meio Ambiente (MMA) firmou importante compromisso com os governos estaduais do Acre e do Mato Grosso para acabar com o desmatamento ilegal na Amazônia até 2020. A proposta, realizada em cerimônia de assinatura, na Embaixada do Brasil, em Paris, foi o primeiro passo para o governo federal alcançar a meta do fim do desmatamento ilegal em todo o Brasil até 2030.

A proposta, anunciada no Diálogos do Brasill, série de eventos paralelos da COP21, tem o objetivo de desenvolver um estudo de caso a partir da Amazônia que possa ser adaptado para todo o País. A escolha dos dois estados deve-se ao fato do Acre e do Mato Grosso estarem nos extremos de conservação do País. Enquanto o primeiro é o grande exemplo brasileiro de conservação de florestas, o segundo, que é um dos maiores produtores de alimentos do Brasil, apresenta um dos maiores índices de desmatamento da Amazônia Legal nos últimos anos.

“Inicialmente vamos testar modelos nessas duas regiões. Faremos de tudo para apoiar cada região da melhor forma possível, entendendo que cada estado tem a sua particularidade. Esse compromisso mostra ao mundo um exemplo de conciliação das partes, algo que está difícil de se conseguir na COP21”, afirmou a Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

O governador do Mato Grosso, Pedro Taques, reforçou que o estado está comprometido a cumprir com o acordo. “Assumimos que o desmatamento do nosso estado aumentou recentemente, mas assino esse pacto com muita tranquilidade. Cerca de 60% das nossas florestas estão preservadas e 77% dos nossos imóveis rurais já se cadastraram no Cadastro Ambiental Rural (CAR)”, ponderou.

Para o governador do Acre, Tião Viana, é um grande prazer fazer parte desse compromisso. “Precisamos estar de mãos dadas com o governo federal se quisermos atingir esse objetivo. Que isso possa acontecer com todos os estados da Amazônia”, afirmou. Ele ainda anunciou que em julho de 2016 será criada uma nova unidade de conservação (UC) no estado de 150 mil hectares, que teve contribuição significativa do WWF-Brasil.

Segundo Ricardo Mello, coordenador-adjunto do Programa Amazônia do WWF-Brasil, “esse evento é importante pois abre uma agenda de negociação entre estados, governo federal e sociedade civil sobre as estratégias nacionais de implementação das metas do INDC Brasileira para florestas. E isso trará benefícios de grande escala para todo o bioma”.

Compartilhar
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014