Salve a Amazonia
22 de junho de 2016
publicado às 08h49
Decreto prevê criação de quatro novas Unidades de Conservação no Pará

Decreto prevê criação de quatro novas Unidades de Conservação no Pará

Dois decretos publicados no Diário Oficial do Estado (DOE) na última segunda-feira (20) oficializaram a criação de quatro novas Unidades de Conservação no Pará, localizadas nos municípios de Senador José Porfírio, no sudoeste paraense, e Maracanã, no nordeste do Pará.

Com a medida, ficará a encargo do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio) administrar e presidir o Conselho Deliberativo e o Conselho Consultivo das unidades “Refúgio de Vida Silvestre (REVIS) Tabuleiro do Embaubal” e “Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Vitória de Souzel”, situadas em Senador José Porfírio, assim como da “RDS Campo das Mangabas” e “REVIS Padre Sérgio Tonetto”, localizadas em Maracanã.

“Queremos criar condições de infraestrutura para a efetivação de projetos de manejo de recursos naturais com o intuito de produzir e difundir o conhecimento tradicional, o turismo ecológico e a educação ambiental, trazendo para as populações locais alternativas de renda e maior conscientização na conservação do meio ambiente. Nas unidades de proteção integral o objetivo principal é garantir a proteção da biodiversidade por meio da evolução da flora e da fauna no seu interior, visando, principalmente, os estudos e a pesquisa científica”, explica Crisomar Lobato, diretor de Gestão da Biodiversidade do Instituto.

A categoria “Refúgio de Vida Silvestre” é recomendada para espécies que tenham ameaçado o seu sítio de reprodução e se destina à proteção da biodiversidade encontrada na região. Já a “Reserva de Desenvolvimento Sustentável” é uma zona do entorno do refúgio de vida silvestre e reúne as ilhas do rio Xingu, assim como parte da comunidade que vive à beira do rio e desenvolve a pesca como principal atividade econômica.

Além da diversidade de quelônios na região, a proposta de criação das UCs também levou em consideração a pluralidade de ecossistemas de praia, várzea e igapó, exibindo uma rica diversidade biológica com presença de espécies ameaçadas de extinção, migratórias e endêmicas.

Nas Unidades de Conservação poderão ser desenvolvidas atividades de visitação e educação ambiental, bem como a exploração de componentes dos ecossistemas naturais em regime de manejo sustentável, conforme dispuser o plano de anejo da UC. (G1).

Compartilhar
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014