Salve a Amazonia
14 de agosto de 2019
publicado às 14h32
Dez dicas para evitar queimadas no período de estiagem

Dez dicas para evitar queimadas no periodo de estiagem

Os meses de agosto, setembro e outubro são os que mais registram focos de queimadas no Tocantins. A principal causa é devido ao período de estiagem (sem chuva) e o tipo da vegetação existente no estado (Cerrado). Além de trazer prejuízos ao meio ambiente, ela também causa danos à sociedade, em especial na saúde pública.

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar (CBM), o Tocantins registrou, em 2018, 8.033 focos de calor (65% menor que em 2017). Os meses mais críticos foram agosto (1.361 focos), setembro (1.796 focos) e outubro (1.371 focos).

De acordo CBM, provocar incêndio ambiental é crime e, ao avistar um foco de queimada, a primeira coisa que o cidadão deve fazer é ligar para os telefones de Emergência: 193 (Bombeiros); 199 (Defesa Civil); ou 190 (Polícia Militar). Caso o cidadão tenha visto quem colocou o fogo, deve procurar anotar alguma informação que possa identificar o criminoso e repassar para as autoridades.

10 Dicas

1 – Jamais atear fogo em área de vegetação ou roçado/desmatada sem a devida autorização e supervisão do órgão ambiental;

2 – Para as propriedades rurais, manter sempre aceiradas e o grupo de vizinhos sempre atentos a qualquer surgimento de queimada;

3 – Na zona urbana, todo proprietário de terreno deve manter sua propriedade limpa, com pouca ou nenhuma vegetação;

4 – Não usar o fogo como agente de limpeza, em quaisquer que seja o local ou para renovar a pastagem;

5 – Não queimar lixo, folhagens, galhadas e entulhos, principalmente se for próximo de áreas de vegetação (este tipo de material deve ser destinado para o local certo, e não queimado);

6 – Não lançar “bituca” de cigarro pela janela do veículo quando trafegar por rodovias ou estradas vicinais, pois a vegetação seca pega fogo com muita facilidade, devido à baixa umidade do período de estiagem;

7 – Quando, em acampamentos, ter o máximo de cuidado na hora de acender fogueiras, velas, lamparinas e lampiões. Só acender fogueiras em local limpo e sem nenhuma vegetação em volta ou próxima ao rio. Quando for deixar o acampamento ou não mais utilizar a fogueira, certificar-se de que as brasas já foram todas apagadas e resfriadas e preferencialmente enterrar os resquícios da fogueira;

8 – Não soltar balões, pois além do fato de ser perigoso é crime, conforme a Lei de Crimes Ambientais (Lei Federal nº 9605/98). O balão pode cair ainda aceso em áreas de vegetação, ocasionando um incêndio florestal, sendo assim uma ameaça ao nosso meio ambiente;

9 – Lembrar sempre que ainda segundo a Lei de Crimes Ambientais – Lei 9605/1998, provocar incêndios em área de vegetação é crime, com pena de reclusão de 2 a 4 anos e multa e para aqueles que causarem poluição que afete a fauna e a flora (colocar fogo em lixo, entulho, etc.), a mesma lei estipula uma pena de 2 a a 4 anos de reclusão mais multa;

10 – Terão situações em que o incêndio já iniciou, será necessário que o combate seja iniciado o mais breve possível, portanto, aquela pessoa que presenciá-lo, deve acionar o Corpo de Bombeiros Militar pelo fone 193 ou a Defesa Civil no fone 199, manter-se calmo e identificar-se, informando a localização exata e informar um ou mais pontos de referência para que as equipes encontrem o local de forma mais rápida.

Ações do Governo

As principais ações do Governo do Tocantins estão voltadas para a prevenção. De acordo com o CBM, o Comitê do Fogo, que é uma entidade presidida pela Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cepdec), vem realizando desde os primeiros meses deste ano o planejamento para as ações de prevenção e alerta à população, que se iniciaram ainda no início do mês de junho, tendo como principal ação o Dia D de prevenção às queimadas e aos incêndios florestais.

Esta ação foi realizada pelas mais de 30 entidades que compõe o Comitê do Fogo. 19 municípios foram contemplados com os trabalhos, que já visitou mais de 2.000 propriedades rurais, levando informações, alertas e buscando a população para aderir a esta causa de prevenção aos incêndios florestais.

Outras ações estão sendo realizadas em nível de preparação, como é o caso da capacitação de mais de 500 brigadistas em mais de 60 municípios do estado, brigadistas estes capacitados pela Cepdec/Corpo de Bombeiros, e estão à disposição das prefeituras, em grande parte já atuando no combate e principalmente na prevenção dos incêndios florestais.

Autorização para queimadas suspensas

O Governo, por meio do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), concede autorização de queima para aqueles solicitantes que se enquadram nos requisitos legais, porém essas autorizações obedecem a um calendário, cabendo ao proprietário verificar junto ao órgão competente.

Neste ano de 2019, o Naturatins editou uma Portaria 180/2019 que está publicada no Diário Oficial do Estado (DOE), do dia 1º de julho, que suspendeu a partir do dia 20 de julho, a emissão e a vigência das Autorizações Ambientais de Queima Controlada em todo o território do estado. A suspensão é motivada pelo período de estiagem e está em vigor até o dia 20 de novembro próximo. (Jesuino Santana Jr./Governo do Tocantins)

Compartilhar
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014