Salve a Amazonia
3 de março de 2015
publicado às 17h02
Embaixadores do UNAIDS Mateus Solano e Mari Antunes lançam no Altas Horas o portal zerodiscriminacao.org

Mateus_Mari_Serginho1O Dia Mundial de Zero Discriminação, celebrado neste domingo 1º de março, contou com uma comemoração especial no Brasil: os Embaixadores de Boa Vontade do UNAIDS, o ator Mateus Solano e a cantora Mari Antunes – da banda Bababo Novo –, estiveram entre os convidados do programa Altas Horas, da TV Globo, promovendo a iniciativa e convocando a audiência a fazer parte do movimento pelo fim da discriminação. Eles também anunciaram o lançamento oficial pelo UNAIDS do portal zerodiscriminacao.org.

Munido de várias borboletas coloridas – símbolo da iniciativa por representar o poder de transformação – Solano convidou todos a fazer parte do movimento. “A partir deste domingo, todos estão convocados a visitar o portal zerodiscriminacao.org para se informar melhor sobre como por um fim à discriminação e sobre como se prevenir contra o HIV”. “E vamos todos postar nossas fotos com a borboleta nas nossas mídias sociais, usando a hashtag #ZeroDiscriminação, para mostrar nosso apoio”, complementou Mari Antunes.

Durante os intervalos, Solano distribuiu borboletas da campanha autografadas e convocou a plateia a postar nas mídias sociais com o hashtag da iniciativa.

No programa que foi ao ar este sábado (28), os dois Embaixadores do UNAIDS contaram com o apoio do apresentador Serginho Groisman para falar sobre as formas de prevenção à infecção pelo HIV e sua transmissão, bem como sobre a importância da união de esforços para combater o estigma e o preconceito relacionados à epidemia.

“É importante lembrar que o HIV não é um assunto da década de 80. É um problema atual e que continua ameaçando todos nós aqui, em especial os jovens”, disse Mateus Solano durante o programa. “E por conta da discriminação, a adesão ao tratamento e a procura por serviços de saúde para a testagem estão diminuindo”, complementou Mari Antunes.

O apresentador Serginho Groisman, ao moderar a conversa entre os dois Embaixadores do UNAIDS, chamou a atenção para o que ele considera um segundo mal: o preconceito que atinge quem tem o vírus ou é vulnerável a ele. Segundo informações de sites especializados, a audiência média do programa Altas Horas em 2015 tem sido superior a 11 pontos na Grande São Paulo, tendo chegado recentemente ao recorde de 17 pontos na região Metropolitana do Rio de Janeiro. Isto equivale, respectivamente, a mais de 2,1 milhões de pessoas em São Paulo e mais de 1,8 milhão no Rio.

A construção do portal zerodiscriminacao.org pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) no Brasil, contou com o apoio da Delegação da União Europeia no país e do Departamento de DST/AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde.

“Nosso objetivo é oferecer um portal sobre a iniciativa Zero Discriminação em português capaz de informar e engajar a sociedade brasileira neste processo de transformação”, diz Georgiana Braga-Orillard, Diretora do UNAIDS no Brasil. “A discriminação excluiu as pessoas da oportunidade de uma vida digna, longe do estigma e do preconceito.”

Dia Mundial de Zero Discriminação

O imenso apoio reunido de todas as partes para o Dia Mundial de Zero Discriminação criou um movimento global de solidariedade para acabar com a discriminação, que continua resultando na exclusão de muitas pessoas ao acesso aos seus direitos. A discriminação no trabalho, na escola, nos serviços de saúde e outros ambientes reduz a capacidade das pessoas de participar plenamente e de forma significativa da vida em sociedade.

Ainda nos dias de hoje, quase 80 países possuem leis que criminalizam as relações sexuais do mesmo sexo. Cerca de 40 países, territórios e regiões impõem alguma forma de restrição à entrada, permanência e residência de pessoas que vivem com HIV. Além disso, sistemas jurídicos e sociais ainda falham em lidar com o estigma e a discriminação em relação à pessoas vivendo com HIV e os mais vulneráveis à infecção pelo HIV.

“A discriminação é uma violação dos direitos humanos e não deve passar em branco”, disse o secretário-geral das Nações Unidas Ban Ki-moon. “Todo mundo tem o direito de viver com respeito e dignidade.”

Além do engajamento de Mateus Solano e de Mari Antunes, outros Embaixadores do UNAIDS estão mobilizando seus fãs e seguidores para adesão ao movimento. Um deles é o craque de futebol David Luiz, que postou uma mensagem especial contra o racismo.

Contato

UNAIDS Brasil: Daniel de Castro, tel. +55 61 3038 9221 | +55 61 9304 2654 decastrod@unaids.org

UNAIDS
O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) mobiliza e inspira o mundo para alcançar sua visão compartilhada de zero nova infecção por HIV, zero discriminação e zero morte relacionada à AIDS. O UNAIDS une os esforços de 11 organizações da ONU – ACNUR, UNICEF, PMA, PNUD, UNFPA, UNODC, ONU Mulheres, OIT, UNESCO, OMS e Banco Mundial – e trabalha em colaboração com parceiros nacionais e internacionais para maximizar resultados da resposta à AIDS. Saiba mais em unaids.org.br e pelos nossos canais no Facebook e no Twitter. (ONU).

Compartilhar
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014