Salve a Amazônia
27 de agosto de 2020
publicado às 09h44
Ipês embelezam e transformam cenário urbano

Com o início da floração dos ipês no cerrado tocantinense neste mês de agosto, as ruas e as avenidas da Capital ganham um colorido especial que as tornam ainda mais belas. O ipê é uma das árvores mais representativas da vegetação brasileira, um símbolo natural do Cerrado, e ocorre em alguns estados da região Norte, como o Tocantins, e também nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul. Na década de 1970, uma lei oficializou a flor do ipê como a flor símbolo do Brasil.

A madeira da árvore pertence ao grupo de espécies do gênero tabebuia, vocábulo do tupi-guarani que significa árvore de casca grossa. Recebe também os nomes de pau-d’arco, peúva, ipé, ipeúna e paratudo. Pau-d’arco faz referência ao uso empregado pelos povos indígenas do Brasil para confecção de arcos. Seu gênero é o neotropical e possui grande variedade de espécies, são mais de 70 catalogadas com várias cores de flor: roxa, rosa, branca e amarela.

O gerente de pesquisa e informações da biodiversidade no Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), engenheiro florestal Jorge Leonam da Silva, explica que o ipê é uma árvore diferente da maioria das outras, visto que quando suas flores nascem as folhas caem dos galhos como uma forma de proteção, para economia de água.

“Como todos sabemos, durante este tempo de seca em que nós estamos, as árvores perdem suas folhas justamente por isso, porque, pelas folhas, muita água se perde no processo de evaporação e com a ação dos ventos. Então, é uma forma de defesa dos ipês, perder as folhas para poder se concentrar na emissão das flores, já que as flores serão suas futuras sementes, que servem para dispersão da espécie”, pontua Jorge Leonam. O engenheiro florestal destaca que a imagem do ipê é bastante representativa. “Quando se vê um ipê florido, sabemos que a primavera está próxima”, detalha o gerente de pesquisa.

A madeira da árvore é dura e resistente e muito aproveitada na construção civil e naval, por isso é plantada em grande quantidade para reflorestamento e preservação da espécie. De crescimento lento, pode chegar até 30 metros, mas seu tamanho médio varia de sete a 15 metros de altura. De forma geral, o florescimento ocorre quando a planta chega aos cinco anos de idade.

Nas redes sociais

A beleza das flores dos ipês também invade a internet, as cores encantam e torna-se irresistível não fotografar e publicar nas redes sociais um registro pessoal dessa época do ano, marcada pela floração e também pelas altas temperaturas, ao contrário do restante do País, onde também há floradas, mas com o clima bem diferente do Tocantins: são locais que registram invernos rigorosos com baixas temperaturas neste período.

A assistente social Cássia Araújo Moraes Braga aproveitou o último fim de semana para registrar os belos ipês nas rotatórias de Palmas. “Nessa época de muito calor, baixa umidade do ar, tempo seco, somos presenteados por Deus com todas essas flores. É a época mais linda e os ipês são tão encantadores que quase nos esquecemos do calor quando estamos admirando”, afirmou.

Luz, água, adubação, temperatura e idade da planta são fatores que influenciam a floração. Em média, as floradas costumam durar uma semana, mas variam conforme a pouca concentração de água na atmosfera. A florada do ipê-amarelo pode se estender por até dez dias.

Fonte: Secom TO

Compartilhar
Notícias Relacionadas
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014