Salve a Amazonia
14 de maio de 2015
publicado às 22h41
Mães no Acre criam grupo no WhatsApp para tirar dúvidas e trocar experiências

mamispoderosasMães de primeira viagem normalmente carregam consigo muitas dúvidas e incertezas sobre a maternidade. Para compartilhar esse sentimento e trocar experiências, a jornalista Mariana Tavares resolveu criar o grupo ‘Mamis Poderosas’, no aplicativo WhatsApp, há um ano. De lá pra cá, o grupo que reunia apenas cinco mães, hoje integra 20 mulheres que moram em Rio Branco e, que além de trocar experiências, tiram dúvidas em relação aos cuidados durante a gestação e saúde de seus filhos.

A fundadora do Mamis Poderosas, hoje grávida do segundo filho, recorda que a ideia de criar o grupo surgiu quando ela engravidou junto com outras quatro amigas, coincidentemente.

“Todas as cinco mães entraram no grupo ainda grávidas de primeira viagem. Hoje, todas estão com seus respectivos filhotes, e mais duas, incluindo eu, ficaram grávidas novamente. Uma amiga pedia para adicionar outra e o grupo acabou crescendo, nos tornamos uma família. As mulheres ficam muito sensíveis durante a gravidez, se questionam sobre estarem fazendo as coisas da maneira certa, todo mundo em volta dá palpite e ter esse apoio é muito importante”, considera Mariana.

Segundo ela, entre as principais dúvidas do grupo, estão a saúde do bebê, maneira correta de amamentar e também o apoio emocional às mães. “É um tema infinito, falamos sobre a saúde do bebê, pois sempre aparece algo e mesmo sendo uma coisa pequena, para nós mães o mundo para. Junto com isso, vem indicações de bons pediatras, dúvidas sobre amamentação, alergias e, principalmente, a parte emocional e de comportamento da mãe. É claro também que dividimos os bons momentos, tem fotos de fofura o dia inteiro no grupo”, conta.

A empresária Elisa Barreiros é uma das integrantes do grupo. Ela já tinha uma filha de 15 anos quando ficou grávida novamente de um menino, que hoje tem seis meses. Segundo Elisa, a experiência foi totalmente nova, como ser uma mãe de primeira viagem novamente.

“Tive minha filha quando tinha 15 anos, eu era muito nova e inexperiente, aprendi tudo na prática. Dessa vez é tudo diferente, na época nem existia pré-natal, só amamentei minha filha por um mês, e esse meu segundo filho estou amamentando há seis meses. Ter o contato com outras mães foi extremamente importante para mim, tanto durante a gestação como agora na criação do meu filho. Quando você engravida suas amigas não são obrigadas a ficarem grávidas também, e a gente acaba ficando sem assunto. Todas as mães do grupo passaram pelas mesmas coisas que eu, desde conflitos com o marido, enjoos durante a gravidez até o pré-natal e ultrassom”, explicou.

Convidada por uma outra mãe para fazer parte do grupo, a fisioterapeuta Priscila Isquierdo conta que durante todos os meses de gravidez as mães relatavam os sintomas da gestação. Assim, uma explicava para outra qual processo tinha usado para diminuir enjoos ou insônia, mudanças na alimentação, entre outros temas.

“Falávamos muito sobre a gestação e depois que os bebês nasceram passamos a falar sobre o crescimento deles. Cada mãe e filho tem suas particularidades, por isso a importância de todas as mães relatarem as suas experiências. No grupo passei por toda a descoberta de ser uma mãe, encontrei respostas e uma família”, destacou.

Do virtual para o mundo real
O grupo começou com amigas, entretanto muitas mães incluídas depois nunca haviam se visto. Com isso, decidiram sair do mundo virtual e se encontrarem pessoalmente. No primeiro encontro participaram 15 mães, depois o grupo se reuniu outras vezes para  trocar experiências sobre a criação dos filhos e desafios de ser mãe.

“O nosso primeiro encontro pessoalmente foi muito legal, mas muito cansativo, pois ainda eram todos muito pequenos. Quase não conseguimos conversar cuidando das crianças, ninguém ficou na mesa que fiz, todas foram para o tapete. Eram todas muito desajeitadas ainda. Os outros encontros já foram mais organizados, fizemos amigo-oculto, nos encontramos no Carnaval e na última vez um café da manhã. Ficamos todas amigas, esperamos que nossos filhos crescam juntos”, finalizou Mariana. (G1).

Compartilhar
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014