Salve a Amazonia
20 de junho de 2016
publicado às 12h04
Naturatins acompanha o balanço do Projeto Cerrado-Jalapão em Brasília

Naturatins acompanha o balanço do Projeto Cerrado-Jalapão em Brasília

O Governo do Tocantins, por meio do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), esteve na tarde dessa quinta-feira, 16, reunido com o Grupo de Trabalho Executivo do Projeto Cerrado-Jalapão, no Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Na pauta do encontro, houve a apresentação do Balanço da Execução dos Recursos da contribuição financeira do Banco Alemão para o Desenvolvimento (KfW) e da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für International e Zusammenarbeit (GIZ) GmbH.

Conforme a agenda de compromissos, também foram tratados assuntos relacionados às auditorias, referentes aos anos de 2013, 2014 e 2015 e também foi realizada a apresentação do Website do Projeto.

O vice-presidente do Naturatins, Edson Cabral, considerou positiva a avaliação do projeto e apresentou algumas demandas. “Na oportunidade, solicitamos, ao Banco Caixa, a ampliação dos esforços da instituição financeira, no sentido de agilizar os procedimentos licitatórios com relação à compra e à instalação do sistema de rádios e antenas para monitoramento do Parque Estadual do Jalapão”, afirmou.

Além do Naturatins, estiveram presentes na reunião: representantes do MMA, doBanco KfW, da GIZ/Ambero, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama/Prevfogo), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), da Fundação de Apoio para Projetos de Pesquisa de Ciênciae Tecnologia Espacial (Funcate), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (MCTIC/Inpe), do Banco Caixa, do Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado do Tocantins (Ruraltins) e de uma empresa de consultoria local.

Projeto Cerrado-Jalapão

O Projeto Prevenção, Controle e Monitoramento de Queimadas irregulares e Incêndios Florestais no Cerrado, mais conhecido como Projeto Cerrado-Jalapão é um dos programas de apoio do Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e das Queimadas no Cerrado (PP Cerrado) e  fruto da cooperação entre Brasil e Alemanha, que visa aprimorar o Manejo Integrado e Adaptativo do Fogo no Cerrado, contribuindo para a conservação da biodiversidade, para a manutenção do Bioma como um sumidouro de carbono de relevância global e para a redução de emissões de gases de efeito estufa.

Dentre os municípios prioritários selecionados em território tocantinense para o projeto, estão Dueré, Formoso do Araguaia, Lagoa da Confusão, Mateiros, Novo Acordo, Pium e Ponte Alta do Tocantins. Além de um parque estadual, no Estado do Tocantins, o projeto engloba as Unidades de Conservação (UCs) federais, que estão entre as unidades apontadas como as  maiores áreas atingidas por incêndios florestais no Brasil. Entre estes, o Parque Estadual do Jalapão, a Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins e o Parque Nacional do Araguaia. E inclui, ainda, em sua área de abrangência, outras áreas federais, como a Terra Indígena do Araguaia, também localizado em território tocantinense.

Parceiros

Fruto de cooperação entre o Ministério do Meio Ambiente do Brasil (MMA) e o Ministério Federal do Meio Ambiente; a Proteção da Natureza, Construção e Segurança Nuclear da Alemanha (BMUB), por meio da Iniciativa Internacional de Proteção ao Clima (IKI); o Projeto Cerrado-Jalapão tem como parceiros brasileiros o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Tocantins (Semarh), o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e, como gestora financeira, a Caixa Econômica Federal (Caixa).

O projeto conta ainda, com o apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, e com a Cooperação Financeira Alemã, por meio do Banco Alemão para o Desenvolvimento (KfW). (Cleide Veloso / Governo do Tocantins).

Compartilhar
Notícias Relacionadas
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014