Salve a Amazonia
16 de fevereiro de 2019
publicado às 15h17
ONU divulgará internacionalmente boas práticas de saúde materna do Maranhão

ONU divulgara internacionalmente boas praticas de saude materna do MaranhaoA representante da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil, Socorro Gross, disse na quinta-feira (14) ao secretário de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, que vai acompanhar, sistematizar e divulgar ao mundo as boas práticas em saúde materna desenvolvidas no estado.

O apoio dado pela OPAS/OMS ao Maranhão é, atualmente, feito com a mobilização de recursos próprios da Organização e do Termo de Cooperação 96. Esse acordo busca, entre outras ações, reestruturar a rede de atenção materno-infantil em todo o estado e articulá-la ao sistema de vigilância em saúde local para diminuir os indicadores de morbimortalidade, especialmente entre mulheres e crianças.

A parceria tem rendido uma série de resultados positivos. Por exemplo, a regional de saúde de Balsas, zona que engloba 14 municípios do sul do Maranhão, já está há mais de 400 dias sem um caso sequer de morte materna.

O avanço foi alcançado graças ao trabalho conjunto feito pelas secretarias de Saúde do estado e dos municípios envolvidos, em parceria com a OPAS/OMS e o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS).

Entre as medidas importantes está a implementação da Estratégia Zero Morte Materna por Hemorragia, que qualifica a atenção às emergências obstétricas por meio de oficinas de capacitação, de guias para gestores e profissionais de saúde e pela articulação de toda a rede de atenção, no marco da linha de cuidado.

Também foi desenvolvida a estratégia de Planificação da Atenção Primária nos 14 municípios da região de Balsas. Proposta pelo CONASS e adotada pelo governo do Maranhão, esse novo modelo de atenção pré-natal qualifica o setor de atenção primária de saúde para ordenar o cuidado às gestantes, considerando suas necessidades.

Outras ações fundamentais foram a implantação do Centro Sentinela de Planejamento Reprodutivo e a organização da rede local de atenção, que ajudaram a reduzir a mortalidade materna no Maranhão.

Incentivos

Durante a reunião com Socorro Gross, o secretário Carlos Lula também afirmou que o estado adotará incentivos para estimular as mulheres a buscar com mais frequência os serviços de saúde e, assim, fazer todas as consultas de pré-natal e das crianças.

Socorro Gross garantiu que continuará com o apoio ao Maranhão para reduzir a morbimortalidade materna e também fortalecer ações que melhorem a qualidade de vida da população como um todo.

 

Compartilhar
Notícias Relacionadas
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014