Salve a Amazonia
20 de junho de 2016
publicado às 11h48
Padroeiro de Gurupi é comemorado com Missa e Festejo

Padroeiro de Gurupi é comemorado com Missa e FestejoA Paroquia de Santo Antônio de Gurupi encerrou a programação do Festejo em comemoração do padroeiro de Gurupi, segunda (13), com missa especial.

Na programação de encerramento do padroeiro, houve procissão que saiu do Parque Mutuca, seguindo na Avenida Goiás e encerrando na Paróquia que leva o nome do Santo. A missa solene do padroeiro levou cerca de 300 fiéis na programação de encerramento da paróquia, que logo após o final da missa, comemorou o festejo com quermesse, bingo e a famosa comida típica “Escondidinho de Santo Antônio”.

Fé e qualidade de vida

Segundo o pároco responsável, Padre Eldinei Carneiro, o festejo de Santo Antônio é tradicional em Gurupi, e cada ano vem trazendo uma novidade aos fieis que sempre renovam sua fé “Neste ano em nossa programação, fizemos o I Passeio Ciclístico de Santo Antônio, levando além da mensagem de fé, a qualidade de vida aos fieis que suaram muito pedalando” comemorou o Padre.

O dia 13 de junho é dedicado a um dos santos mais populares da Igreja Católica. Santo Antônio, que é famoso por ser conhecido como o Santo casamenteiro, é também padroeiro de Gurupi tendo milhares de fieis pela cidade. De acordo com a crendice popular brasileira, neste dia, as pessoas que desejam, se casar ou conseguir um namorado, preparam simpatias para Santo Antônio, acompanhadas de orações.

“Moro em um assentamento à 20 km, e a mais de 30 anos não falto nenhuma missa de Santo Antônio” destacou a devota do padroeiro, Dona Maria do Carmo.

Santo Casamenteiro

Segundo alguns fieis, uma moça de família humilde não podia pagar seu dote para se casar. Desesperada, a jovem pediu com fé a ajuda do Santo que, milagrosamente, lhe entregou um bilhete e disse para procurar um determinado comerciante. O bilhete dizia que o comerciante desse à moça moedas de prata equivalentes ao peso do papel. O comerciante não se importou, achando que o peso daquele bilhete era insignificante. Mas, para a surpresa de todos, o papel pesava o equivalente a 400 escudos da prata para que a balança atingisse o equilíbrio. Nesse momento, o comerciante se lembrou de que havia prometido 400 escudos de prata ao Santo, e nunca tinha cumprido a promessa. A jovem moça então se casou de acordo com o costume da época e, a partir de então, Santo Antônio recebeu a fama de “O Santo Casamenteiro”. (Por: Fernando Novais/Secom Gurupi)

Compartilhar
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014