Salve a Amazonia
27 de dezembro de 2016
publicado às 11h08
Produtoras com foco em agricultura familiar destacam-se cada vez mais na produção agroecológica

agricultura-familiar

Em 10 anos, segundo dados recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de mulheres que são referências nos lares brasileiros cresceu cerca de 10%, passando de 30,6% para 40,5%. E nas áreas rurais não poderia ser diferente, hoje, vemos inúmeras mulheres que chefiam os lares, seja com uma renda superior ou como a única renda da família por meio de agriculturas sustentáveis, saudáveis e inovadoras.

Na última quinta feira, 15, aconteceu na FASE AMAZÔNIA, uma feira agroecológica com a participação de produtoras dos municípios de Abaetetuba, Igarapé Miri, Santa Bárbara e Santo Antônio do Tauá, no Pará. Entre os produtos expostos estavam hortaliças, frutas, polpas, tapioca, farinha, açaí, bolo de macaxeira com cupuaçu e rosquinha de castanha com coco, todos esses produtos foram produzidos de maneira saudável e natural.

Aproveitando o engajamento da população no evento, a ONG FASE reforçou a Campanha que está vigente desde Outubro, intitulada ‘Guardiões dos Sabores’ em que visa conscientizar a população da importância do consumo do alimento saudável e agroecológico. Além disso, também foi destacada a necessidade de manter as tradições dos alimentos regionais para que a soberania alimentar seja preservada. E, sem dúvidas, as produtoras rurais que participaram da feira fazem esse trabalho com muito êxito.

A FASE atua auxiliando os pequenos produtores no preparo do solo, na escolha dos alimentos plantados e até mesmo procurando outras maneiras de comercializar o resultado e garantir o sustento das famílias envolvidas no plantio.

Às vezes, certos alimentos não chamam muita atenção, mas se produzidos de outra maneira garantem uma fonte de renda essencial para o dia a dia dessas famílias que dependem da agricultura local. Um exemplo é a agricultora Daniele, de Abaetetuba, que produz rosquinhas de castanha com coco, a partir do incentivo e acompanhamento das equipes da FASE. Segundo Daniele as encomendas não param e diversos turistas levam seu quitute para fora do país.

O técnico agroflorestal e educador da FASE, Samis Vieira, apresentou durante a feira alternativas de uso de plantas alimentícias que são pouco convencionais, mas que são encontradas em grandes quantidades na Amazônia.  Dois exemplos são a jurubeba e a erva de jabuti que podem ser utilizadas em saladas de qualidade e com um alto valor nutricional.

A Campanha Guardiões dos Sabores está sendo amplamente disseminada nas redes sociais para que diversos projetos em todos os cantos do Brasil ganhem visibilidade e sirvam de exemplo. É importante que a população se conscientize quanto aos malefícios do consumo de alimentos industrializados, a importância de consumir alimentos frescos e com pouca ou nenhuma adição de agrotóxicos no cultivo, privilegiando o pequeno agricultor, equilibrando os biomas brasileiros, resgatando os sabores e receitas regionais e fomentando temáticas relacionadas à alimentação equilibrada e saudável.

Serviço:

Para mais informações sobre a campanha Guardiões dos Sabores acesse: http://guardioesdossabores.org/

Compartilhar
Notícias Relacionadas
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014