Salve a Amazonia
24 de março de 2015
publicado às 21h08
Seminário sobre a gestão das águas no Mato Grosso

seminario_ciuaba_secom_mtO programa Água para Vida participou no dia 20 de março do seminário “A importância da Gestão das Águas no Mato Grosso para a garantia dos processos econômicos, sociais e ecológicos”, realizado no Palácio Paiaguás em Cuiabá.

O evento, organizado pela Secretária de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso (SEMA-MT), reuniu gestores do estado e de 25 municípios da região das cabeceiras do Pantanal e especialistas em recursos hídricos. Participaram também representantes da Agência Nacional de Águas (ANA), do Conselho Estadual de Recursos Hídricos (Cehidro), Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema), Conselho Estadual de Pesca (Cepesca) e Conselho Interinstitucional de Educação Ambiental (Ciea).

Durante o evento, os participantes discutiram as iniciativas que estão sendo desenvolvidas no Mato Grosso para garantir água de qualidade e em quantidade para todo o estado. O analista de conservação do programa Água para Vida, Ângelo Lima, apresentou o Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal, um acordo formal, no qual a sociedade civil, o setor privado e o poder público se comprometem a promover o desenvolvimento sustentável da região por meio da formação de parcerias e a gestão compartilhada de ações e atividades.

“O Pacto vem sendo construído de forma consensual e participativa. Os setores envolvidos construíram e identificaram os desafios e as alternativas para solucionar os problemas da região, como desmatamento, poluição dos rios e nascentes e saneamento básico deficiente”, afirmou Ângelo Lima. “A ideia é que possamos juntos estabelecer parcerias para alcançar um único objetivo: garantir água de qualidade e em quantidade para todos agora e para as futuras gerações, sempre pensando no desenvolvimento sustentável da região”, complementou Lima.

O Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal

O Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal é um compromisso formal, formado por um conjunto de ações, benéficas para todos os segmentos da sociedade, que tem como objetivo garantir água de qualidade e em quantidade para todos. Para aderir, as entidades de todos os âmbitos (governos, setor privado e sociedade civil) devem se comprometer a implementar em sua região pelo menos três ações benéficas à gestão dos recursos hídricos.

Todas as decisões são tomadas por consenso e coordenadas por um Grupo Coordenador, formado por 30 instituições que já definiu 34 desafios comuns aos 25 municípios, como por exemplo: a recuperação de áreas degradadas, a adequação ambiental de estradas rurais e estaduais até 2020, a melhoria do saneamento básico, a implantação de biofossas nas zonas rurais e melhoria da gestão de resíduos sólidos e da gestão de recursos hídricos.

O Pacto abrange 25 municípios: Alto Paraguai, Araputanga, Arenápolis, Barra do Bugres, Cáceres, Curvelândia, Denise, Diamantino, Figueirópolis D´Oeste, Glória D´Oeste, Indiavaí, Jauru, Lambari D’Oeste, Mirassol D’Oeste, Nortelândia, Nova Marilândia, Nova Olímpia, Porto Esperidião, Porto Estrela, Reserva do Cabaçal, Rio Branco, Santo Afonso, São José dos Quatro Marcos, Salto do Céu e Tangará da Serra. (WWF – Brasil).

Compartilhar
Notícias Relacionadas
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014