Salve a Amazonia
19 de março de 2018
publicado às 10h17
Soluções ecoinovadoras para problemas hídricos disputam prêmio em Camp

Soluções ecoinovadoras para problemas hídricos disputam prêmio em Camp

Evento promovido pela ONU Meio Ambiente e Sebrae conta com a participação de dez ideias e dez startups – selecionadas entre cerca de cem propostas – que passarão por processo intenso de ‘mentoria’ em sustentabilidade e empreendedorismo em busca do prêmio de melhor ecoinovação para o desafio água.

Começa nesta segunda-feira (19), às 16h, o ‘Camp de Ecoinovação: Desafio Água’. Vinte participantes viverão uma aceleração de propostas construídas a partir de um novo olhar para os negócios, no qual cada estratégia e atividade são desenhadas e executadas com foco na sustentabilidade.

As ‘startups’ e ideias iniciais aprovadas passarão durante três dias por um processo de aperfeiçoamento com ‘mentorias’ e dinâmicas sobre negócios de impacto social, ecossistemas de ‘startups’, ‘pitching’, sustentabilidade na era digital, entre outros.

O evento, que conta com o apoio do Green Nation, acontece até o dia 21 na Vila Cidadã, durante a 8ª edição do Fórum Mundial da Água, em Brasília.

Segundo dados das Nações Unidas, a agricultura representa 70% do consumo global de água, que é utilizado principalmente na irrigação. Já a indústria demanda mais de 20% do total e os quase 10% restantes vão para o uso doméstico – a parte utilizada para beber água é inferior a 1%.

Cientes destes dados, as instituições parceiras se uniram para promover a busca de soluções ecoinovadoras para os desafios da água. No evento, serão três as áreas em foco: agricultura, indústria e cidades.

Entre quase 100 propostas que concorreram para participar do Camp, foram selecionadas as dez com o maior potencial de ecoinovação e empreendedorismo em cada categoria. Confira:

Categoria Startups:

  • Eco Panplas: descontaminação de embalagens plásticas recicláveis utilizando um produto ecológico líquido e sem utilização de água no processo.
  • LiaMarinha: aplicação de tecnologias sustentáveis para tratar e remediar águas e efluentes com eficiência.
  • Resitrat Soluções Ambientais: sistema compacto para tratar o chorume gerado em aterros sanitários, com baixo custo e eficiência de 99% no tratamento.
  • Biosolvit: resolver a contaminação das águas por petróleo e derivados com um absorvedor de hidrocarboneto 100% natural produzido a partir de resíduos orgânicos descartados em lavouras.
  • KEMIA Tratamento de Efluentes: tratamento de efluentes por meio de tecnologias de eletro-oxidação, eletrofloculação e eletrofenton que promovem a separação ou a oxidação completa do poluente.
  • Prisco Ambiental: sistema de tratamento móvel de águas residuárias que consiste em uma unidade de reatores compactos customizados, os quais poderão ser instalados em containers marítimos ou skids industriais.
  • O2eco: Tecnologia baseada em uma placa de hidrocarbonetos e oligoelementos, cuja combinação biológica estimula as bactérias benéficas ao sistema e possibilita a despoluição de rios, lagos, mares e esgotos.
  • Síndico Foco: desenvolvimento e implementação de projetos para reduzir o consumo de água em condomínios, associado à captação de água da chuva, água de reúso das piscinas, saunas e duchas.
  • Stamina Comércio Ltda: sistema de reúso (cisterna) da água do banho, construído no banheiro, que acumula até 100 litros de água.
  • Stattus4: sistema de detecção automática de vazamentos em redes e ramais de distribuição.

Categoria Ideias:

  • Sérgio Morais: utilização da Internet das Coisas, com uso exclusivo de “open hardwares” e “open softwares”, para melhorar o serviço de saneamento nas cidades.
  • Anita Ramos Almeida: solução inteligente para a irrigação autônoma de hortas que utiliza sensor de umidade.
  • Anna Luísa Beserra Santos: dispositivo prático e portátil para tornar a água da chuva potável e, assim, garantir maior acesso da população à água limpa.
  • Marivana Almeida: sistema inteligente para captar a água da chuva para reaproveitamento em residências urbanas.
  • Otilene dos Anjos Santos: sistema de produção sustentável de alimentos que une técnicas da aquacultura e da hidroponia dentro de um sistema fechado de recirculação de água.
  • Thalita Pereira Delduque: uso de cerâmica vermelha (tijolo), inclusive de resíduos da construção civil, para tratar a água.
  • Mateus Alho Maia: para o tratamento de água, preparação de carvão ativado utilizando como precursor os rejeitos da agroindústria.
  • Roberto Batista Williams: veículo aquático autônomo, que envia dados físico-químicos e biológicos da água para a nuvem e utiliza Internet das Coisas para determinar parâmetros de limpeza e despoluição dos corpos hídricos.
  • Geraldo José Voppi Silva: sistema residencial de aproveitamento da água do banho e lavatório que não utiliza energia elétrica, motores ou bombas.
  • Felipe Vilarinho e Silva: sistema de informação e consumo consciente.

Para Regina Cavini, oficial sênior da ONU Meio Ambiente no Brasil, a ecoinovação é um componente-chave para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

“Por ser uma forma de pensar que integra todas as atividades do ciclo de vida de um produto ou serviço, a ecoinovação é capaz de alavancar os negócios e garantir a sobrevivência das empresas no mercado competitivo enquanto, ao mesmo tempo, diminui a pressão sobre os recursos naturais. Nesta edição do Camp, voltada para os desafios da água, esperamos concluir o evento com propostas rentáveis e que contribuem para o desenvolvimento sustentável no setor público e privado”, afirmou Regina.

“O Sebrae fomenta a ecoinovação em seus projetos e o Fórum Mundial da Água é uma grande oportunidade para dar visibilidade ao trabalho”, explica a diretora-técnica da instituição, Heloisa Menezes. “As micro e pequenas empresas têm buscado incorporar a sustentabilidade por meio de significativas mudanças em sua produção”, complementa Heloisa.

O diretor de Administração e Finanças do Sebrae, Vinicius Lages, reforça o comportamento: “Estamos falando de uma nova abordagem, com técnicas e soluções capazes de elevar o desempenho das empresas sem afetar a sua sustentabilidade”.

Durante os três dias de evento, frequentadores da Vila Cidadã poderão observar as dinâmicas dos participantes através das paredes de vidro da sala onde as atividades ocorrerão. Ao final da competição, somente uma ideia e uma ‘startup’ serão eleitas vencedoras e premiadas com gadgets, mentorias exclusivas com especialistas e investidores e credenciais para participação em eventos de representatividade do segmento de startup.

A premiação e a cerimônia de encerramento estão previstas para começar na quarta-feira (21), às 18h30, no espaço Green Nation da Vila Cidadã. Informações adicionais em comunicacao@pnuma.org.

 

 

Compartilhar
Comentários 
0
Escreva um comentário

Portal da Amazônia Legal © Todos direitos reservados 2014